Colunas

Marcella Rodrigues



Arte e Cirurgia da mão.

Um pouco da história.

10/06/2021
10/06/2021

Quando eu penso em arte e cirurgia da mão, a primeira imagem que me vem em mente é a escultura de mãos abraçadas segurando uma árvore – cujo o criador é Lorenzo Quinn, artista contemporâneo italiano, que espalha emoções através da arte (Fotos anexas).

E eu venho aqui hoje, fazer uma homenagem à minha especialidade, a cirurgia da mão, começando com um pouco de história.
Uma longa evolução ocorreu desde os primeiros registros da arte da Cirurgia, cerca de 4.000 anos a.C. No início, era a Cirurgia Empírica, praticada por aqueles que se dispunham a ajudar, em situações ligadas a traumas na maioria das vezes. Dessa forma, surgiram os primeiros a praticar intervenções cirúrgicas: os primeiros cirurgiões, aqueles que trabalhavam com as mão (cirurgia: do grego trabalho com as mãos).

Ao longo dos tempos, foram sobretudo as guerras entre os povos fizeram evoluir a técnica cirúrgica, na tentativa de salvar soldados feridos. Durante o período da Renascença, cresceu o estudo da anatomia, que permitiu aos médicos fazerem tratamentos mais nobres. E no início do século XVI, o cirurgião francês Ambroise Paré, descobriu a hemostasia para reduzir sangramentos. Em meados do século XIX, o cirurgião britânico Joseph Lister introduziu o fenol como agente anti-séptico, para limpeza antes da cirurgia, reduzindo drasticamente as infecções pós-operatórias. Progressivamente, a cirurgia tornava-se uma especialidade respeitada.
Foi uma verdadeira revolução na prática cirúrgica.

Mas muitas pessoas não sabem que existe uma especialidade médica chamada cirurgia da mão. Nossa especialidade surgiu na segunda guerra mundial quando existia a necessidade de cirurgiões salvarem os membros e reestabelecer a função de soldados que tinham lesões complexas nos membros superiores. Até então esse tratamento dependia de uma grande equipe: do ortopedista para a parte óssea, o neurocirurgião para os nervos, o cirurgião vascular para as artérias e o cirurgião plástico para as lesões de pele. Foi então que surgiu nos Estados Unidos a formação do especialista com conhecimento e treinamento necessário para tratar os pacientes com lesões do membro superior: o Cirurgião de Mão. Em 1959 foi fundada a nossa sociedade, a SBCM (Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão), que completa em 2021 seus 62 anos.

A mão e o membro superior têm uma verdadeira complexidade anatômica. Cada osso, cada tendão, cada nervo, são muito importantes para a função das mãos e para o nosso dia a dia.
Nós cirurgiões da mão somos responsáveis por tratar patologias das unhas, dedos, mão, punho e até do plexo braquial, para manter ou restabelecer essa função adequada. Para isso pode ser preciso realizar cirurgias grandes como fraturas, reconstruções ósseas, reimplante, como também cirurgias que chamamos de partes moles, que são os ligamentos, tendões, nervos, artérias, pele... Muitas vezes essas cirurgias são tão delicadas que necessitam do uso de materiais de pinça e agulha específicos e o uso de microscópio ou lupas de aumento. É um verdadeiro desafio que nos encanta a cada dia.

Trata-se, simultaneamente, de uma ciência e de uma arte: “a arte de tratar com as mãos”, como diz Fernando Reis Lima, médico cirurgião português.
Porque afinal Cirurgia é "Arte e Ciência", frase de Ruy Garcia Marques.


790
0
0
0

Comentários

Seja o primeiro a comentar!
Whatsapp

Oi! Como o PedraMadeira pode te ajudar?